Assuntos

Assuntos! #3

Fazer e desfazer com a trama

Este será o ano do VIII ENAPOL e seus Assuntos da Família. Seus conglomerados de enredos nos acompanharão até setembro. Toda semana, vocês poderão ver, ouvir e ler, um novo ASSUNTO, uma nova maneira de pensar e fazer o possível para captar o de que se trata quando falamos de assuntos de família e seus enredos, a maneira como cada um se faz e se desfaz dessas tramas que armam o que, no nível da ficção, aparece como o encontro com o traumático e com o inefável mal-entendido que aparece em cada volta da vida. Nossa prática, a da psicanálise, tem muito a que dizer sobre essas tramas que aparecem todos os dias em nosso consultório e que mudam ao sabor da época. Angelina Harari, Gustavo Stiglitz e María Hortensia Cárdenas dão início ao ano em nosso vídeo com os assuntos de Trisha como pano de fundo, filme cujo comentário de Daniel Aksman podemos ler. Mas há também, Tânia Abreu, María Eugenia Cardona e Marita Salgado que escrevem sobre o que o tema lhes provoca.

Então, bem-vindo aos assuntos, seus enredos e sua clínica!

Alejandra Glaze
Directora do VIII ENAPOL

Tradução: Vera Avellar Ribeiro

 

Com Angelina Harari (Vicepresidente do Consejo da AMP), Gustavo Stiglitz (Presidente da EOL) e María Hortensia Cárdenas (Diretora da NEL-Lima).

Krisha: esse ponto inquietante
Daniel Aksman (EOL)

Os assuntos de família apresentam sempre um ponto inquietante. Quer se apresentem como tragédia ou como comédia, eles nos revelam um mal-entendido que se transmite. A ordem paterna parecia assegurar uma solução para os sujeitos frente a esse mal-entendido. Ainda se escuta, em certas culturas, que satisfazer o desejo dos pais se constitui como algo vital para assegurar o destino dos sujeitos. A psicanálise surgiu como produto da crise dessa solução que a cultura prometia ao sujeitos e, devido o declínio da imago paterna, um novo laço, o discurso do analista, se instalou na civilização como modo de tratamento do mal-estar.

Ver mais


Família - Enredo - Romance

Assuntos de família
María Eugenia Cardona (NEL)

"Os sábados são meus"
Marita Salgado (EOL)

Fapol NEL NEL EBP