Livraria

El psicoanálisis a la hora de la guerra, na livraria de nosso VIII Enapol

El deseo del analistaMarie-Helène Brousse (Compiladora)

Artículos de: J.-A. Miller, E. Laurent, Guy Briole, Gil Caroz e outros

(Tres Haches, Buenos Aires, 2014)

Esta magnífica compilação realizada por M.H. Brousse propõe um giro à pergunta que Freud deixou formulada, em seu texto de 1932: "Por que a guerra?".

O texto avança através dos interessantes e valiosíssimos aportes de diferentes autores, cada um deles com uma perspectiva específica, até chegar a uma conclusão muito ousada: "a guerra é uma das formas dominantes do laço social interhumano". A guerra concebida não mais como uma simples manifestação da agressividade, uma vez que implica sempre uma lógica de discurso, de significantes mestres, sejam eles religiosos, morais, nacionais, étnicos ou técnicos. É também uma posta em ato da figura do Supereu, em um dado momento histórico: nosso século XXI, de acordo com o declínio do Nome do Pai e das figuras de autoridade tradicionais; em benefício da cifra, do estatuto do Um sozinho do sujeito e até de uma nova psicologia das massas. As tecnociências permitem fazer a guerra sem pôr o corpo ou - por que não? – expondo-o em tempo real, na mais cruel manifestação de dejeto.

Os ensinamentos de J. Lacan e as investigações insólitas de J.-A. Miller convocam os analistas, uma vez mais, a não retroceder diante dos modos de gozo impostos pelos discursos do tempo, neste caso, ao porque das guerras.

Mirta Nakkache (EOL)