Livraria

¡Escuchen a los autistas! de Jean Claude Maleval

¡Escuchen a los autistas! (Grama, Buenos Aires, 2012)

Este texto de Jean Claude Maleval, ilustra e argumenta em profundidade um aspecto a mais do que o texto "La batalla del autismo", de Eric Laurent, desenvolve em torno do autismo. Como o de Laurent, se situa no contexto da designação do autismo, na França, como "Grande Causa Nacional". Ambos se complementam e nos enriquecem em torno da polêmica e do combate que nos compete a cada um de nós como psicanalistas da orientação lacaniana.

J.C. Maleval adota uma posição comprometida e determinante com argumentos decisivos que endossam a pertinência da abordagem psicanalítica no tratamento desses sujeitos. Colhe testemunhos como os de Donna Williams, uma autista de alto nível, entre muitos outros que aqui se expressam. Ela dirá: "A melhor abordagem seria a que não sacrifica a individualidade e a liberdade da criança à ideia que fazem da respeitabilidade e de seus próprios valores: os pais, os professores e seus conselheiros"

Diante da pergunta: como fazer com crianças autistas? Ele nos apresenta a multiplicidade de propostas que convergem na modificação dos comportamentos dos autistas. Assim retoma a Applied Behavior Analysis, ABA, para desqualificá-la como sendo desumanizante e puramente estatístico. Menciona outros como o TEACCH, PECS, makaton ... Nessa perspectiva, a vida afetiva e a consideração da angústia lhes são impenetráveis.

Sua tese é que a abordagem psicanalítica é a única que pode dar conta da função do objeto autístico, da primazia do signo e do caráter estranho da enunciação, é a única capaz de propor compreensão sobre o afetivo e suas consequências sobre a cognição. Permite captar a criança autista que, longe de ser um deficiente manipulador, é uma criança inteligente, adormecida por suas angústias.

Daí a sua exclamação que nos convoca a cada um: Escutem os autistas!

Mirta Nakkache