Livraria

Pasos hacia una economía de los goces, de Gerardo Arenas, estará em nossa livraria

Pasos hacia una economía de los goces (Grama, Buenos Aires, 2017)

Com o estilo e a rigorosidade que caracterizam o autor, este livro convida a não ter como assentado os saberes estabelecidos.
Parte do que chama uma espécie de oximoro, já que falar de economia dos gozos seria um recurso poético para cometer a impossível agregação entre dois elementos de natureza heterogênea: gozo e economia.
As palavras não alcançam nomear por completo a zona obscura do gozo.
Em contraposição, a economia alude a algo concreto e definido, vinculado aos aspectos materiais da existência. Remete à medida e à contabilidade dos bens com a possibilidade de submetê-los às leis matemáticas do cálculo.
Gerardo Arenas, sem tomar os ensinamentos de Freud e de Lacan como letra morta, mas partindo delas, avança sobre uma hipótese própria:
"Suponhamos que o gozo da vida se distingue do gozo do Outro e que este não existe. Por ser sempre nulo, não há razão para que o gozo do Outro ingresse em uma economia que ele não poderia afetar em nada.
O gozo da vida, em contrapartida, deve formar parte dessa economia, já que suas perdas ou incrementos são uma variável chave para a experiência analítica - assim dizem os próprios analisantes.
Propomos então:

  1. Não confundir gozo do Outro e gozo da vida
  2. Aceitar que não há gozo do Outro
  3. Excluí-lo ( por ser nulo) da economia dos gozos
  4. Substituí-lo, nela, pelo gozo da vida"

Ele põe à prova os desenvolvimentos teóricos lançados neste texto. Para isso, lança mão de exemplos de três testemunhos de AE, a fim de verificar como, mediante a análise, a redução do gozo do sentido e do gozo fálico, permitiu maximizar o gozo da vida.
Por fim, avança lançando luz sobre temas que continuam sendo atuais dentro do campo da psicanálise: o trauma, o autismo e o fenômeno psicossomático.
María Luján Ros

Neste livro se encontrará um breve ensaio sobre a pluralização dos Nomes do Pai.