Imprensa e difusão

#AssuntosEpistolares 5

Envia: Sonia Miguez

Queridíssimos pais e irmãos:

Não podeis imaginar a grande impressão que causou-me a notícia da morte da pobre tia Rosario, que lástima! Escrevi ao tio Luis uma carta dizendo-lhe que precisa animar-se, pois a vida segue e não podemos nos deter na metade do caminho. Ele me dá uma grande pena e Dona Amadora tão doce e tão desgraçada pois os filhos ainda que estejam agora desesperados tem muita vida pela frente, mas eles!......

Estive um dia de cama pois a notícia me produziu uma grande impressão, já estou graças a Deus tranquilo e espero que vós estejais igualmente. Que não falem diante de Isabelita destas cosas e que quando ela esteja não estejais tristes pois é uma menina e não está bem que podendo lhe deis momentos tristes e amargos. Papai que graças a Deus está melhor é necessário que não se impressione demasiadamente e se distraia, não há mais remédio! Temos uma família muito longa e é preciso ter calma, não há mais remédio.

Eu sei que vós haveis sofrido bastante porque a coisa não é para menos, mas agora há que normalizar a vida.

A carta que Paquito escreveu-me foi um terrível mau momento para mim pois todas as notícias eram imponentes. Tenho estado tristíssimo e ainda estou ainda que já naturalmente sereno.

Senhor Alberto, o presidente da Residência quer que fique neste natal aqui para ajudar em muitos assuntos mas não lhe disse nada porque sei que vós me necessitais…. mas por Deus vos suplico que não vos ponhais muito tristes quando eu for.

Irei em seguida enviai-me o dinheiro do trem e parto em seguida..

Meu livro está entregue.

Escrevei-me em seguida.

Adeus beijos a todos e abraços a todos de vosso Federico

Como está Mercedes?

Espero que as meninas continuarão sua aula de piano não incorrais na barbaridade de suspendê-la e considerar a música como una diversão.

Carta enviada por F G Lorca à sua família.

Diario El país da Espanha, a carta é inédita, mas cedida ao jornal pela Fundação Federico García Lorca.