Imprensa e difusão

#AssuntosEpistolares 15

Envia: Ma. José Figueroa León (Associada NEL Santiago)

26 outubro de 1951 (manuscrita)

Adorada, não sabes a fúria que senti quando no mesmo dia em que chegamos te liguei e não me atendeste. Era tarde e desabei contra ti com coisas que D. ofendeu-se. Disse-lhe, estou cansado de traições, esta é a verdadeira M. que passeou com seu amiguinho pela Costa Azul e que nos esquece. Passei estes dias desesperado, nervoso e colérico, tanto que falei a Ivette que fosse a Paris e averiguasse tudo. Imagina você que alegria, hoje sei que chegaste. Em todo caso te descuidaste. Neste momento já terás o que te mandei, escreve que compraste algo chinês para que não causes surpresa, em relação às cartas responde a cada uma por vez. Não deixes de fazê-lo sobre teus amigos de viagem. Quero saber tudo, e de qualquer modo irei averiguar.

Meu amor, a hora se aproxima. Está tudo arranjado como convimos. Segunda-feira iremos a Viena, estarei de volta no dia 6 ou 7 e logo depois, nosso plano. Achei melhor telefonar-te, e que não vá acontecer a mesma coisa, ligo no dia 10 ou depois pela manhã. Não saias. Temos muito a falar, tomei algumas decisões que você vai gostar. Porque dormes em cima? Não tens dinheiro para o carvão? Dei uma ordem a Ines, deves fazer o que te peço, não quero que tenhas nenhum incômodo, nem que te falte nada. Arruma bem os detalhes para tua viagem, pensa o que vais dizer na tua carta a D. etc. Eu penso em ti dia e noite, noite e dia, amor meu, doçura minha, e não sei se te quero mas te quero.

Eres minha e te beijo.

Pablo Neruda

Cartas de amor. "Amor mío. La hora se acerca"

http://m.elcultural.com/revista/letras/Neruda-Cartas-de-amor-ineditas-a-Matilde-Urrutia/26578